O objeto é o Cara

Vamos colocar um pouco de conceito aqui, Existe um tipo de programação chamada Programação orientada por objeto (ou POO, para os mais íntimos), como o próprio nome diz, faz-se a programação com foco nos objetos, de fato considero-a melhor de programar, não só eu, como muitos “fazedores” de códigos, ultimamente esse tipo de programação anda crescendo muito, também não é por menos, porém há muitas pessoas que preferem a programação linear por ser tratar de uma programação mais fácil de ser desenvolvida. Sem dúvidas, a programação linear não possui tantos conceitos como o POO, porém esses conceitos, existem pra facilitar a vida do fazedor e não pra complica-la, pois para fazer uma alteração no código fica muito mais fácil e se quiser utilizar uma parte do código de um programa em outro, também é mais simples.

Já expus a minha opinião em relação a isso, mas vou deixar claro que isso não quer dizer que a minha opinião é a verdade absoluta, pois existe ninguém melhor do que você mesmo pra dizer o que você prefere.🙂

Dentre os vários conceitos, colocarei os principais para começar a desenvolver nesse tipo de programação e cada qual vai estar em um post distinto. Classe, Objeto, Método, Construtor, A variável This e quem sabe Sub-Classe. E como exemplo utilizarei PHP, pois gosto mais dessa linguagem.

Objeto

A parte mais importante da programação orientada por objeto, é o objeto, pois o que seria dela se não tivesse um objeto?, Em outras palavras “O objeto é O cara” (“O Cara”, para quem não sabe é uma expressão com sentido daquilo ser o melhor, no nosso exemplo o objeto é o melhor), Muitos lugares definem o objeto como algo real, de fato em muitos casos será esse seu objeto, algo que se pode pegar, apertar, acariciar, é melhor parar por aqui. Porém, iria mais fundo nesse conceito, passando de tudo que é real, para uma entidade lógica que contém dados e código, com o qual manipulamos os dados, por exemplo:

Um sonho, posso considerá-lo um objeto?
Pode, pois em um sonho você pode compreender, esquecer, interpretar, jogar no bicho etc.

Vamos à outro exemplo:
Um conta de banco, pode-se sacar, efetuar um pagamento, depositar, conseguir um empréstimo, aborrecer-se com o banco com as tarifas altas etc.

Esses dois exemplos são muito bons, pois não existem no mundo real (só ideologicamente), mas mesmo assim podem ser um objeto, como percebe-se, os dois objetos tem em comum operações feitas a partir dele e à essas operações damos o nome de métodos (falaremos disso mais tarde).

Para utilizar um objeto é necessário instanciá-lo (iniciar):

$objeto = new nome_da_classe

O operador new é o responsável pela inicialização do objeto e para isso também temos que colocar uma classe referente à ele.

Espero ter conseguido ilustrar bem o conceito de objeto, qualquer dúvida comenta e senão tiver dúvida comenta também, se gostou comenta e senão gostou comenta também, enfim o importante é comentar.🙂

Fuiii…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: